Bem EstarCorpo e Mente

Dormir com cachorro: pode ou não pode? Prós e contras!

Cada família tem uma maneira de administrar sua casa e o modo de agir em cada caso. Os amantes de bichinhos, certamente, amam ter os pets caninos por perto e passar cada segundo de relaxamento com eles, não é? Por isso, é comum surgir a dúvida se dormir com cachorro faz mal ou não.

Bem sabemos que o sono é uma das coisas mais essenciais para a saúde e o bem-estar humanos, não é? Além de relaxar e desligar das preocupações do dia a dia, esse ato é restaurador, renovando nossas energias para podermos realizar as tarefas rotineiras.

Dito isso, há muitas questões a serem consideradas quando se fala em sono e decidir se o cachorro pode dormir com você.

A primeira delas é a particularidade de cada um, há pessoas que gostam e não veem problemas em ter os pets no leito ou no sofá, e outras que preferem que eles respeitem o espaço.

Em segundo lugar, precisa ser considerado se isso será algo saudável tanto para os familiares quanto para o pet. Se, de alguma forma, irá atrapalhar ambos os organismos.

Para responder as dúvidas que possam surgir a respeito disso, no post de hoje, mostraremos os prós e os contras de se dormir com o seu cão. Vamos lá? Continue a leitura!

Faz mal dormir com o cachorro? Entenda!

Cada caso é um, realmente, pode ser difícil dizer se dormir com o cão faz mal. Tudo vai depender de como a sua rotina e de sua família é organizada e se, nela, há a necessidade ou o desejo de realizar essa prática.

No entanto, um estudo realizado pela IFL Science constatou que a constância do sono é prejudicada quando os cães estão juntos, cerca de 20% do tempo de sono é passado acordado. Isso se dá porque a rotina de descanso dos pets é diferente da dos humanos, eles podem ficar alertas por barulhos ou simplesmente decidirem que é hora de latir e brincar.

Apesar disso, muitos donos preferem ignorar e apreciar o co-sleeping, ou seja, dormir com o bichinho. Isso também pode trazer benefícios, pois contribui com a sensação de bem-estar, segurança e confiança, tanto da pessoa quanto do animal.

Além disso, é comum que, nos primeiros dias da adoção, quando o cãozinho chega em casa filhote, haja um certo receio em deixá-lo sozinho, visto que ele é muito novo e pode chorar e se sentir assustado – além de acordar a casa toda.

Mas é importante lembrar que o treinamento se inicia assim que ele chega em casa, então, as permissões e proibições que são impostas, nesse ciclo, continuarão pelo resto da vida do pet. Não adiantará muito permitir que ele durma contigo quando for filhote e, na idade adulta, querer tirá-lo de uma vez e a força da cama.

Para pesar sua decisão, separamos algumas informações. Com base nelas, você poderá optar para o que mais convém quando se trata de si e de seu fiel companheiro.

Prós

Uma das vantagens de ter o pet em sua cama é desfrutar da companhia e segurança que ele traz. Muitas pessoas que moram sozinha optam por ter um cão e esse se torna um membro essencial da família. O animalzinho é como o braço direito da pessoa, portanto devem ficar sempre juntos.

Ainda, esse ato faz com que eles se sintam mais amados, então, em concordância, confiarão mais nos donos e farão de tudo para alegrá-lo.

Outro fator a ser considerado positivo é que os animais nos ajudam a eliminar o estresse. Quantas vezes você chegou nervoso(a) em casa por causa de problemas no trabalho, no estudo ou na vida pessoal, bastou um pouco de interação com o seu bichinho e o estresse saía em ondas do seu corpo.

Assim, pode-se afirmar que esse fato é ótimo para o psicológico, ajudando a criar maior sensação de bem-estar, tanto para você quanto para ele. Isso inconscientemente se aloja na mente, o que ajuda a ter um sono tranquilo.

Caso você não tenha alergias a pelo, eles podem ser incríveis para ajudar a fortalecer o sistema imunológico, visto que a casa fica com mais bactérias. O melhor é que nem todas elas são ruins e podem ajudar na criação de anticorpos.

Contras

Para pessoas que têm um pouco de alergia, esse fato pode se tornar muito maléfico. Cães com pelo grande ou mesmo curto tendem a passar pela troca dele durante o ano, sendo que os primeiros podem deixar uma quantidade maior pela casa.

Normalmente, pessoas com alergia optam por não terem esses bichinhos, mas não é uma regra incontestável. Se você sofre disso, o mais indicado é não dividir a cama com ele, isso porque seu sistema imunológico pode ser afetado por, constantemente, estar em contato com alérgenos.

Além disso, para quem costuma ter o sono leve, não é indicado deixar o pet na cama ou no mesmo quarto, isso porque eles tendem a roncar, latir e se mexer muito mais do que os gatos, por exemplo. Até mesmo podem rosnar, se você não deixar claro de quem é o espaço onde ele está.

Pessoas com poucas horas de sono costumam render menos durante o dia e ter problemas de ansiedade, estresse, além de consumir muitas calorias comparado às pessoas que têm as sete ou oito horas indicadas.

Caso a raça do pet seja de pequeno porte e seu sono seja muito pesado, acidentes podem acontecer. Animais menores são mais frágeis, é possível que aconteça de deitar em cima dele e machucá-lo e coisas piores, como sufocamento.

Tudo isso não é um problema. Como deixar a prática mais saudável?

Se a decisão é por colocar o bichinho para dormir consigo ou mantê-lo, é essencial seguir alguns cuidados, como regularmente conferir as vacinas e aplicar o vermífugo sempre que necessário.

Além disso, é de extrema importância tentar mantê-lo o mais limpo possível. Vale lembrar que dar banho no pet muitas vezes na semana pode prejudicar a saúde dele. Portanto, encontre um ritmo bom para higienizá-lo e deixar o espaço limpo.

A tosa higiênica também deve ser realizada regularmente, pois impede que dejetos grudem no pelo, evitando que os resíduos sejam soltos em sua cama. Assim, sua saúde também fica em dia.

No fim, todas essas questões vão ditar se você pode ou não dormir com o seu cão. Não se esqueça de prezar sempre por sua saúde, o sono deve ser levado a sério.

Para saber mais a respeito do sono, colchões e outros assuntos pertinentes ao descanso, confira sempre nossas publicações semanais!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo