Curiosidades do Sono

Narcolepsia: definição, causas e sintomas

A narcolepsia é um distúrbio cerebral crônico e autoimune causado pela perda de um grupo de células localizadas no hipotálamo, região do encéfalo que regula parte do metabolismo. As células morrem, o que impede a formação da hipocretina, a responsável por nos manter acordados.

Muitas pessoas possuem essa doença, porém não sabem de sua existência e, quando vão fazer o teste, é complicado ter o diagnóstico rapidamente, pois os sintomas se assemelham muito a outras doenças.

Vamos, então, entender juntos quais são as causas, os sintomas e possíveis tratamentos para esse mal!

Sintomas da Narcolepsia

A narcolepsia é o sono incontrolável que aparece em lugares e momentos inusitados. É um sono que faz a pessoa cochilar numa reunião de trabalho, em pé, até mesmo no trânsito. Quem sofre com isso e não recebe o tratamento adequado corre o risco de dormir em momentos inesperados e ficar em risco.

As pessoas que têm a doença não possuem sintomas graves diretamente, entretanto, indiretamente pode causar danos no dia-a-dia como quedas, acidentes, até mesmo a incapacidade de realizar atividades comuns.

Podem ser o sintomas:

Sonolência diurna

O sono incontrolável durante o dia faz com que a pessoa durma aleatoriamente em qualquer evento durante o dia. Além disso, a maioria das pessoas que possuem essa doença relata que os sonhos aparecem com muita frequência quando vão tirar um cochilo, ou nas primeiras fases do sono. Em segundos a pessoa dorme sem nem perceber.

Catalepsia

É quando acontece a atonia muscular que pode ser do corpo todo, levando a uma queda, ou apenas de uma parte do corpo com a fraqueza dos músculos. Geralmente desencadeada por uma emoção forte, por isso ele fica consciente, mas perde o tônus muscular, em alguns casos perde a força e a capacidade de se movimentar por alguns minutos.

Paralisia do sono

A paralisia do sono faz com que a pessoa fique incapaz de se mover, alguns relatam até a falta de ar. Isso pode acontecer tanto no início do sono ou ao despertar. Geralmente dura até 10 minutos e é uma condição que deixa a pessoa desconfortável e até assusta quem está tendo pela primeira vez. Imagina você ter que ficar paralisado sem conseguir mexer nenhuma parte do seu corpo? A Paralisia do Sono é assim.

Alucinações Hipnagógicas e hipnopômpicas

Assim como na paralisia do sono, essas alucinações podem acontecer no início do sono (Hipnagógicas), e também ao despertar (Hipnopômpicas). É como se os sonhos estivessem bem vívidos, e isso acontece por decorrência da alteração no sono REM. 

Podem ser alucinações visuais, mas também acontecem as auditivas. Existem relatos de pessoas que disseram experienciar a saída do próprio corpo, entretanto isso são decorrências da alteração desse sono que passa diretamente para o estado REM.

Fragmentação do sono

Mesmo tendo sonolência durante o dia, a pessoa pode ainda ter insônia à noite. Os sintomas e as dificuldades em realizar atividades simples do dia a dia desanimam qualquer um que tenta ter um dia produtivo.

A fragmentação do sono também impede que a pessoa consiga ter horas seguidas de sono de qualidade, pois pode acordar em vários momentos da noite e com isso ocasionar ainda mais sonolência durante o dia.

Por isso é muito importante ter o diagnóstico para poder começar o tratamento o quanto antes. Esses sintomas podem não estar acontecendo juntos ao mesmo tempo, porém já conseguem tirar a paz de uma pessoa se ocorrerem com frequência.

Diagnóstico de narcolepsia

O mais recomendado é buscar um profissional especializado na medicina do sono e que consiga te dar os medicamentos corretos para a sua causa, além de definirem melhor sua situação a fim de te ajudar no tratamento o quanto antes.

Polissonografia

O exame de polissonografia consiste no estudo do sono, dura em média 8 horas, podendo ser encerrado a qualquer momento a pedido do paciente. Ela é fundamental para diagnosticar diversos distúrbios do sono. Até agora é o diagnóstico que dá com mais clareza o resultado para saber se você tem ou não a Narcolepsia.

Tratamento

Lembre-se de nunca começar um tratamento com medicamentos por conta própria e sem a consulta médica, isso é muito importante, pois há substâncias no DNA que podem ser alteradas dependendo do medicamento consumido erroneamente.

Essa é uma doença que não tem cura, mas o tratamento é muito eficiente. A medicação demora um certo tempo para fazer efeito e o funcionamento difere de cada organismo. O funcionamento do remédio no organismo só acontece para te dar curtos períodos de atividade e não para dar fim à narcolepsia em si.

Quando a pessoa segue corretamente o tratamento, vê uma melhora nas produções e atividades, isso porque o medicamento incentiva a produção de hipocretina, que nos ajuda a manter acordados.

Apesar do tratamento, é preciso também uma mudança comportamental, nas atividades, na rotina e nos horários para tomar o remédio. Os medicamentos são estimulantes do sistema nervoso central que impedem essas alucinações de acontecerem com mais frequência, por isso realizar atividades físicas e mudar alguns hábitos alimentares podem auxiliar juntamente com o medicamento.

Outras práticas ajudam no tratamento, são elas:

  • Evitar álcool e sedativos;
  • Evite abuso de cafeína;
  • Evite a privação do sono, durma a quantidade necessária e mantenha uma rotina.

E aí, se identificou com algumas dessas características e sintomas? Então não espere muito e procure um médico para diagnosticar e começar o tratamento se necessário. Por mais que não pareça nociva, a narcolepsia pode ser perigosa durante suas atividades corriqueiras.

Dormir pouco também pode causar depressão, você sabia? Pois é, fique ligado em nossos posts e não perca as dicas e informações sobre o sono que estamos sempre atualizando!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo