Dormir BemMeu Colchão

Em busca do colchão ideal: 6 fatores a se considerar

Seu colchão passou do prazo de validade, a espuma não está nivelada e você vem sofrendo com dores corporais constantemente sempre que acorda? Esses são sinais de que a hora da troca de seu colchão chegou.

Mas a verdade é uma só: passamos tanto tempo de nossas vidas com apenas um colchão que nem sabemos exatamente quais fatores devem ser considerados na hora da compra de um artigo novo.

E não poderia ser diferente, pela crença popular, um colchão bom deveria durar a nossa vida toda e ainda passar de geração para geração, certo? Errado!

Não é saudável utilizar um colchão por tanto tempo. É preciso sempre respeitar o seu prazo de validade, declarado pelo fabricante e, sobretudo, respeitar o seu tempo de vida constatado no dia a dia.

Afinal, de nada adianta permanecer com aquele colchão herdado pela sua tataravó (a relíquia familiar), se ele não está te oportunizando um sono noturno confortável. Aliás, muitos de nossos distúrbios do sono e parassonias são causados pela falta de funcionalidade dos nossos próprios colchões,sabia?

Dito isso, no post de hoje iremos te ajudar listando os fatores indispensáveis que devem ser levados em conta na hora da aquisição de um colchão novo. Então, pegue papel e caneta, anote as dicas F.A. de hoje e boas compras.

1. Entenda as suas necessidades

Antes de qualquer compra, é crucial que você consiga delimitar as suas necessidades com a troca de seu colchão. Por que você está buscando um colchão novo? O antigo venceu? Está buscando maior conforto? Maior suporte corporal? Ou mais espaço para poder dividir com o(a) parceiro(a)?

Quando você conseguir traçar as suas necessidades elementares, não terá tanta dificuldade para escolher um colchão que esteja em alinhamento com a sua realidade. Do contrário, a sua compra será baseada em premissas aleatórias, o que, a longo prazo, pode te trazer problemas.

Por exemplo, pessoas que buscam maior conforto necessitam de um colchão com maior maciez. Já aquelas que possuem quadros graves de dorsalgia precisam de um artigo que dê maior suporte ao dorso, sendo, portanto, mais duro. Agora, os casais se sentirão mais confortáveis em um colchão de molas ensacadas, visto que não sofrerão com o molejo de movimentação do parceiro.

Já percebemos que a escolha do colchão ideal depende, principalmente, de uma demanda particular, que varia de pessoa para pessoa.

2. Em se tratando de colchão, a aparência não é tudo

Sabemos que quando pensamos na compra dos móveis de nosso quarto, buscamos levar em consideração a estética do artigo como uma forma de manter o décor do ambiente. A aparência externa de um colchão é relevante, considerando a Arte & Décor, mas não é tudo.

Antes de belo, um colchão tem que ser funcional. Ele precisa ser capaz de sustentar o peso de seu corpo e oferecer o conforto que você precisa ao longo da noite. Então, tome cuidado com propostas visualmente aprazíveis, mas nada eficazes. Mesmo porque, grande parte da elegância do móvel será coberta pela roupa de cama.

3. Nem sempre o preço mais baixo é o melhor investimento

Quanto vale ⅓ de sua vida? Somos tentados a buscar sempre opções mais baratas para necessidades muito nobres. O que queremos dizer é que o nosso sono consiste em parte essencial de nossa vida, mas nem sempre estamos dispostos a gastar tanto assim em um colchão.

O ponto é que o gasto, na verdade, é um grande investimento. É um investimento em noites de qualidade, na consolidação de seu aprendizado diário, na energização de seu corpo, na manutenção de suas operações mentais e até mesmo no equilíbrio de seu humor.

Então, sempre leve em consideração, na hora de definir um colchão para compra, que o alto preço reflete na escolha de matéria-prima de qualidade, no processo limpo de fabricação, mas, sobretudo, na conservação de sua própria existência.

4. Se quer conforto, vá de colchões de espuma

Todo colchão é constituído de componentes próprios que melhor se alinham a especificidades de exigências. Isso é extremamente relevante porque faz desse móvel um artigo versátil e plural.

Se você está pensando em adquirir um colchão de espuma, precisa levar em consideração que esse tipo ganha pontos em leveza e conforto e, geralmente, possui isolante térmico. As espumas mais conhecidas na fabricação de colchões de espumas são a viscoelástica e o látex

Colchões viscoelásticos são hipoalérgicos, especificidade perfeita para bloquear a proliferação de agentes fúngicos. Além disso, o maior benefício da espuma viscoelástica está em sua alta resposta ergonômica, o que pode dar mais conforto a sua hora de sono.

Já o látex também conta com vários benefícios. Mas o mais excepcional é sua capacidade em voltar ao seu estado natural de planície tão logo nos levantemos, o que evita o desgaste do móvel. Assim como o viscoelástico, o látex também conta com a ação antibactericida.

Outro fator importante na hora da compra do colchão ideal é que esse móvel, se feito em espuma, precisa ser escolhido respeitando a densidade especificada. A densidade correta tende a variar de acordo com o seu peso, visto que quanto maior a densidade maior será a capacidade do colchão em suportar o peso apresentado.

Confira agora uma tabela de densidade para guiar a escolha do seu colchão ideal:

5. Aposte em molas, se quer maior suporte corporal

As molas, sem dúvidas, são os componentes mais buscados na hora da escolha de um colchão. Isso porque são a garantia de um suporte eficaz para o corpo. Não à toa, encontramos as molas em praticamente todas as camas box, sobretudo, as de casal, considerando que precisam sustentar o peso de duas pessoas.

No mercado, encontramos vários tipos de mola, as mais conhecidas são: mola bonnel e mola ensacada. Molas do tipo bonnel são espiraladas assemelhando-se à forma de uma ampulheta e, uma vez que ficam entrelaçadas, conseguem dar o suporte perfeito para o corpo, fazendo-se muito úteis para aqueles indivíduos que possuem dorsalgia.

Já as molas ensacadas consistem em melhores opções para casais, considerando que não transferem o movimento conforme um indivíduo se mexe na cama. Aliás, são extremamente anatômicas, garantindo que a coluna se manterá retilínea na extensão de todo o móvel.

6. Atente-se para o prazo de validade estabelecido

O tempo de vida de um colchão pode variar de acordo com os seus componentes. Assim, por mais que estimemos que um colchão resiste por cerca de 10 anos, sempre sugerimos que você leve em conta a resposta do móvel no dia a dia.

Considere sempre fazer uma pesquisa antes da compra sobre a procedência dos materiais utilizados na confecção e leve em conta que ao decorrer do tempo de uso o colchão possa a vir ser trocado antes do tempo estipulado pelo fabricante, uma vez que agentes externos podem provocar o desnível da superfície e deformidades no artigo.

Colchões 100% látex possuem maior durabilidade, podendo alcançar 10 anos de vida. Os de mola alcançam a média de 5 anos de vida útil e os de espuma são os que duram menos, contando cerca de 3 anos.

Assim como um colchão pode durar menos do que o prospectado também pode atingir um tempo maior de vida, dependendo dos cuidados desprendidos.

E nem estamos falando de cuidados tão complexos assim, o simples fato de de colocar o colchão para respirar e virá-lo esporadicamente, já é o suficiente para evitar que ácaros se proliferam e que haja o desnível, mas antes de qualquer medida de limpeza e higienização, é importante conferir a etiqueta do objeto.

É fundamental, ainda, se atentar ao descarte do artigo. É comum que pessoas descartem o colchão usado em qualquer terreno abandonado ou deixem na lixeira de coleta. No entanto, faz-se essencial verificar se o próprio fabricante aceita o colchão ou ainda buscar em sua cidade locais que recebem o artigo para a reutilização.

Prontinho! Gostou do nosso post de hoje? Agora, com as dicas certas você pode conseguir efetuar a escolha consciente e estratégica de um colchão de qualidade que possa suprir as suas necessidades diárias.

Se restaram dúvidas, não hesite em nos perguntar aqui nos comentários. Ficaremos felizes em trazer as devidas soluções. E fica aqui o nosso convite para navegar pelo nosso blog e conhecer as nossas demais publicações. Aliás, agora que aprendeu a escolher o colchão, que tal aprender a escolher o travesseiro ideal? Corre lá!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo